domingo, 17 de janeiro de 2021

Visão 2013

24 Novembro 2020

Roberto Brandão (GESEL): Amapá teve combinação de linha fraca, subestação única e falha na manutenção

O desastre do Amapá, desde o dia 3 deste mês sem fluxo normal de abastecimento elétrico, nasceu de uma combinação de linha fraca, subestação única e falha na manutenção que deixou um transformador reserva com defeito desde dezembro do ano passado. É dessa forma que o coordenador da área de Geração e Mercados do Gesel/UFRJ, Roberto Brandão, resume o que provocou a crise sem precedentes no abastecimento do estado. “É difícil compreender a demora para consertar o terceiro transformador”, disse, referindo-se ao equipamento que estava parado, com defeito, desde dezembro do ano passado, mas somente agora, com a crise em andamento, foi encaminhado ao fabricante (em Santa Catarina) para conserto, pela empresa Linhas de Macapá Transmissora de Energia (LMTE). Brandão explicou que a fragilidade da linha é uma característica geral das conexões do Norte do país, ressaltando que o Amapá é um dos poucos estados que têm apenas uma conexão da rede de transmissão, a subestação da LMTE. O professor da UFRJ ressalta que mesmo Roraima, que segue abastecido por térmicas e sem conexão com o SIN, tem alternativa na conexão com a Venezuela. (Brasil Energia - 23.11.2020)

Para ler a matéria na íntegra, clique na imagem abaixo: